HAPPY NEW YEAR

Passas , subir à cadeira, uma lista de resoluções para o novo ano, bater panelas, comer lentilhas, …
Adorava ser aquela pessoa que sabe sempre o que fazer quando chega a meia-noite de dia 31 de Dezembro. Mas a verdade é que em todos os meus anos de existência nunca cumpri nenhuma destas superstições. Não sou supersticiosa, e adorava dizer que essa é a desculpa para nunca ter cumprido nenhuma destas tradições. mas a verdade é que bloqueio nos últimos minutos do dia 31 de Dezembro e esqueço-me de todas as tradições possíveis (excepto o brinde de champanhe), não por pretensiosismo, mas porque a minha veia de autista se apodera de mim nos últimos minutos do ano.
E assim começo o ano sem resoluções, sem passas, sem panelas e sem desejos. Mas no fundo sei que esta é a analogia da minha vida. Não fui feita para grandes planos. Gosto que a vida me surpreenda.
No entanto, como consumidora de moda assídua, devia saber exatamente o que iria vestir na passagem de ano. Mas este ano, decidi ignorar todas as superstições que exigem uma tremenda atenção e concentração, e decidi vestir o que desejo para o meu ano- o vermelho.
 
Na cultura chinesa, acredita-se que a cor que usamos na passagem de ano, define a cor dos nossos próximos 365 dias. Acreditemos ou não, não custa tentar e já que temos 365 dias pela frente (até ao próximo tom), vamos pelo menos aproveitá-los bem.
Dizem que o vermelho traz amor , prosperidade e fortuna (coisas que encontramos nos escombros da internet), mas seja verdade ou não, espero que o vermelho seja o meu companheiro este ano.
 
E todo este texto, foi um desabafo que acabou por tornar numa enorme resolução para o novo ano. Mas o que vos queria mesmo mostrar, era a minha última sugestão para a passagem de ano. Um vestido vermelho, 100% português e que foi a minha paixão à primeira vista. O vestido é de uma marca portuguesa, a CADI que ainda dará muito que falar em 2018.
 
Um brinde a todos os que têm estado desse lado em 2017, e prometo que vou continuar a desabafar os devaneios desta minha cabeça em 2018.
Xo,
Catarina

DRESS: CADI | SHOES: MANGO

PHOTOGRAPHY: GUILHERME MARQUES
_____________________________________________________________________
Raisins, climbing to the chair, a list of resolutions for the new year, pounding pans, eating lentils, and goes on and on…
I always wanted to be that person who always knows what to do when midnight arrives on December 31st. But the truth is that all this years I never accomplished this resolutions. I never been superstitious, and I wanted to say that this is my excuse to never fulfill this resolutions.  But the truth is that I always have a block in the last minutes of the 31st December and always forget about all the traditions .
And so,I always start my year without resolutions, raisins, pans and without resolutions. But, I know this is the analogy of my life. I wasn’t made for big plans. I like the surprises of life.
However, as an assumed fashion consumer, I was supposed to know exactly what I would wear on New Year’s Eve. But this year, I decided to ignore all superstitions that require tremendous attention and concentration, and decided to wear what I wish for my year-Red.
 
In Chinese culture, it is believed that the color we use in the New Year, set a color of our next 365 days. Believe it or not, we can always try, and since we have 365 days ahead (until the next tone), let’s at least enjoy them well.
They say that the Red brings love, prosperity and fortune (things that we found in the depth of internet), but true or not, I hope that red as being my 2018’s company.
 
And all this text was an outburst that eventually ended up turning into a New Year’s resolution. But this post was eventually an excuse to share my last suggestion for a New Year’s Eve. A red dress, 100% Portuguese and that was love at first sight. This is a Portuguese dress, from CADI, a new brand that we will hear about in 2018.
A toast to all of those who have been with me in 2017, and I promise that I’ll continue to share this little pieces of me in 2018.